Blog
20. jul de 2022
BlogHelp,DICAS HELP,Saúde

Confira 6 dicas simples sobre como prevenir a doença de Alzheimer

Saber como prevenir o Alzheimer é fundamental para evitar que a doença surja e ter mais qualidade de vida. Confira 6 dicas para impedir o avanço da doença.

Você sabia que, ao contrário do que muitos imaginam, há como prevenir o Alzheimer? Com o aumento da expectativa de vida, essa se tornou uma grande preocupação. Afinal, ela atinge principalmente os idosos e é responsável por 70% dos casos de demência.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), no Brasil, há cerca de 1,2 milhões de pessoas com a doença. Porém, a maior parte delas ainda não recebeu o diagnóstico nem o tratamento necessário.

Outro dado alarmante é que até 2050 essa doença pode quadruplicar o número de pessoas atingidas se medidas efetivas de prevenção não forem adotadas.

A boa notícia é que incluir alguns hábitos bem simples na rotina é capaz de evitar ou diminuir os riscos do surgimento do Alzheimer. A seguir, entenda melhor como é essa doença e o que fazer para preveni-la.

 

Afinal, o que é a Doença de Alzheimer?

Trata-se de um subtipo de demência e também é o termo geral utilizado para descrever as condições que surgem quando o cérebro não consegue mais exercer suas funções corretamente.

Trata-se de uma doença degenerativa, progressiva e irreversível, levando o paciente à dependência de ajuda de outras pessoas para executar até mesmo as atividades mais básicas. Os sintomas mais frequentes são:

  • Problemas com a memória;
  • Dificuldade para completar atividades que antes eram facilmente feitas;
  • Mudanças de humor;
  • Confusão sobre locais, pessoas e eventos;
  • Alterações visuais, como dificuldade para compreender imagens;
  • Alterações na personalidade;
  • Dificuldade para falar e coordenar movimentos;
  • Agitação e insônia;
  • Incontinência urinária e fecal;
  • Delírios e alucinações.

Vale lembrar que os sintomas e a gravidade deles surgem conforme o avanço da doença.

Apesar de entender como ela afeta o cérebro, a medicina ainda não definiu exatamente quais são as suas causas.

O que se sabe é que acomete principalmente os idosos. Além disso, há uma predisposição genética. Ou seja, pessoas que têm antecessores com a doença, podem acabar desenvolvendo-a caso não se previnam.

Além da idade, outros fatores de risco são:

  • Hipertensão;
  • Tabagismo;
  • Diabetes;
  • Obesidade;
  • Colesterol alto;
  • Doenças cardiovasculares;
  • Acidente Vascular Cerebral (AVC) prévio.

 

Como prevenir o Alzheimer?

Como comentamos, alguns hábitos simples podem evitar o surgimento da doença ou minimizar seu avanço. A seguir, confira algumas atividades bem fáceis de serem incorporadas na rotina e que são muito eficazes para prevenir o Alzheimer.

 

1. Exercite o cérebro diariamente

Ler, estudar, desenvolver novas habilidades e, até mesmo, conhecer novas pessoas estimula os neurônios a realizarem novas ligações entre si.

Quanto mais houver essas ligações, melhor para o cérebro, pois ele aprende a ter capacidade de contornar eventuais falhas em seus transmissores e a retardar o surgimento da demência.

Outras formas de exercitar o cérebro são os jogos de estratégia, como quebra-cabeças ou palavras cruzadas. Aprender um novo idioma ou um novo hobby também são muito eficazes.

Outro ponto importante é que ler livros, revistas e jornais ajuda o cérebro a reter informações, que é fundamental para evitar os esquecimentos tão comuns da doença.

 

2. Tenha uma boa noite de sono

Enquanto dormimos, nosso cérebro realiza funções para gravar o que aprendemos durante o dia e estimula o sistema cognitivo, responsável pela atenção, foco, memória e resolução de problemas.

Além disso, quem dorme mal tem mais chances de ganhar peso, desenvolver diabetes, doenças cardíacas e outros males que, como vimos, são fatores de risco para a Doença de Alzheimer.

Então, o ideal é estabelecer uma rotina do sono. Isso significa evitar refeições pesadas à noite, não utilizar equipamentos eletrônicos como TVs e celulares 1 hora antes de dormir, definir um horário para ir para a cama e apagar todas as luzes assim que deitar.

Uma boa dica é ler antes de dormir. Assim, é possível manter a disciplina da leitura diária e evitar o uso de aparelhos eletrônicos.

 

3. Pratique atividades físicas

30 minutos de exercícios físicos de 3 a 5 vezes por semana são o suficiente para diminuir em até 50% as chances de desenvolver Alzheimer.

Se a pessoa tem uma idade avançada e alguma dificuldade de locomoção, pode praticar atividades mais simples e leves, como caminhada devagar.

Outra opção bem interessante é o pilates e, inclusive, a fisioterapia. Nesse caso, o profissional conduzirá os exercícios de acordo com as condições de cada um.

 

4. Mantenha uma dieta equilibrada

A alimentação tem papel fundamental na prevenção de obesidade, diabetes, hipertensão e doenças crônicas que são fatores de risco para o Alzheimer.

Além do mais, os antioxidantes ajudam a reduzir os riscos de inflamação e estresse oxidativo, que estão associados ao surgimento de demências.

Por esse motivo, é importante manter uma alimentação rica em alimentos fontes de ômega 3 e vitaminas C e E, que são altamente antioxidantes. Algumas dicas excelentes são:

  • Fazer 4 a 6 refeições pequenas por dia, pois ajuda a manter os índices de açúcar estáveis;
  • Ingerir diariamente vegetais de folhas verdes, como couve, espinafre e brócolis;
  • Comer peixes como salmão, sardinha, atum e truta;
  • Evitar alimentos industrializados e ricos em gordura;
  • Consumir alimentos ricos em selênio, como trigo, ovos, amêndoas e castanha-do-pará.

 

5. Controlar o estresse e a ansiedade

Tanto o estresse quanto a ansiedade prejudicam o cérebro porque estimulam a produção de hormônios maléficos para o seu funcionamento. Outro ponto importante é que pessoas com depressão apresentam um risco maior de desenvolver Alzheimer.

Dormir bem, praticar hobbies e fazer atividades ajuda muito no controle de problemas psicológicos. No entanto, se for o caso, é fundamental fazer acompanhamento médico ou psicológico.

 

6. Fazer consultas médicas regulares

Ir ao médico com periodicidade é essencial em todas as fases da vida. Mas na terceira idade ela é indispensável. O médico solicitará exames para acompanhar a saúde de forma geral e, sempre que necessário, de maneira específica.

Ou seja, o profissional acompanhará a pressão arterial, peso, taxa de colesterol, necessidade de suplementação alimentar, entre tantos outros fatores que devem estar de acordo para evitar tanto o Alzheimer quanto o surgimento de outros problemas comuns da idade.

Agora que você já sabe como prevenir o Alzheimer, não deixe de incluir esses hábitos em sua rotina. Como você viu, são bastante simples e fáceis de adotar no dia a dia. Além de evitar a doença, ainda ajudam você a ter mais saúde e qualidade de vida.

Quer saber mais sobre a saúde na terceira idade? Então, aproveite a visita no blog e entenda por que devemos manter a atenção no caso de pneumonia em idosos. Boa leitura!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.